EXERCENDO A LIDERANÇA NO ON-LINE

Blog-Paulo-Almeida

Durante a segunda Guerra Mundial (1939 – 1945), pelas ondas da rádio BBC de Londres, o mundo ocidental, o Brasil inclusive, se manteve diariamente infor​mado sobre o avanço dos Aliados e os movimentos dos estrategistas militares.

Hoje, 75 anos depois, o mundo vivencia uma grande crise sanitária com reflexos políticos, econômicos e sociais e um tsunami de informações jamais visto. A imprensa, grandes empresas, políticos, empresários, médicos, cientistas e especialistas têm dado grandes contribuições que, muito além do rádio, chegam por todos os lados, 24 horas por dia, 7 dias por semana, em diferentes veículos de comunicação e redes sociais.

Nosso foco com o com:unidade – Iniciativas FDC para tempos desafiadores, é o de ligar os pontos, traduzir, interpretar e transformar todo esse volume de informações em análises que, aliadas ao sólido conhecimento dos nossos professores e convidados, contribuam para o desenvolvimento de novas competências para enfrentar esses desafios.

O momento “Star Wars” da liderança

Em um cenário de transformações e adaptações permanentes na qual estamos fisicamente isolados – mas unidos pela tecnologia – indivíduos, empresas e governos estão fortemente pressionados. É um tempo de escolhas e essas escolhas terão peso crucial e impactos profundos no curto, médio e longo prazos.

Liderar implica em ter disciplina, sacrifícios, organização e gerir paradoxos. Até aqui, líderes escolhiam um lado da “força”, buscando um estilo com foco no imediato ou um olhar para o longo prazo. No mundo pós-Covid 19, essa não será mais uma escolha. Líderes terão que desenvolver e conciliar suas ações visando o agora e o futuro!

Segundo Paulo Almeida, professor e pesquisador da Fundação Dom Cabral nas áreas de Liderança, Pessoas, Desenvolvimento Organizacional e Neurogestão nos domínios da transformação digital, liderança 4.0 e gestão, esse é um momento de desapego aos modelos anteriores, capacidade para acelerar a transição das empresas para o digital e trabalhar a hiperconectividade lidando com a ansiedade, a resiliência, o autoconhecimento e o foco.

Mindfulness, resiliência e autoconhecimento

O isolamento imposto pela situação que estamos passando demanda enorme equilíbrio interior, ainda mais por parte dos líderes. Hoje, são inúmeras as ferramentas para descontrair, relaxar e se reconectar. Esse é um aspecto essencial com a sofisticação dos processos de liderança que resultarão no mundo pós-Covid 19.

Quando o líder coloca as pessoas no centro de tudo, ele cria segurança psicológica que reforça o engajamento das equipes em torno do propósito da sua organização. Isso ganha mais peso a partir do uso de tecnologias mais novas, ferramentas, dados e análises que precisam ser colocadas a serviço de uma leitura mais humana.

Teremos cada vez menos um limite claro entre vida pessoal e vida profissional. A introdução recente do conceito de coworking e dos espaços colaborativos já esboçavam um esforço das empresas de aproximar o ambiente residencial ao corporativo. O confinamento, por sua vez, acelerou a ida do ambiente corporativo para dentro de casa. O líder humano é alguém que consegue transmitir o propósito de um jeito leve, entendendo todos esses movimentos.

O papel do líder na produtividade on-line

A produtividade não se dará pelo aumento do número de horas durante o home office, mas pelo foco, pelo empenho empregado para cada tarefa. Dessa forma, o líder é aquele que gerará o engajamento. Empresas do futuro tendem a ter uma estrutura menos hierarquizada, com trabalho organizado em células. Nessa linha, o líder deve ter e compartilhar metas e planos claros por meio de uma comunicação efetiva e relações positivas com o seu time.

Também nesse contexto, é preciso criar um ambiente de confiança mútua, processos eficazes para tomada de decisões, além de valorizar e promover a diversidade de pensamento e de pontos de vista. Dessa forma, mesmo em um clima de risco e insegurança, a equipe encontrará um ambiente preparado para oferecer sua melhor performance.

Fazer diferente

Estar à distância é, sem dúvida, um grande desafio no relacionamento com as equipes. E esse desafio é ainda maior quando a distância é imposta sem aviso prévio e, muitas vezes, sem processos mais elaborados de preparação, de transição e de adaptação. Nesse sentido, o professor Paulo destacou alguns pontos que podem contribuir com os líderes neste momento de mudança.

Em primeiro lugar, prepare-se enquanto líder. Defina a sua equipe, as tarefas e as ambições. Em seguida, esclareça papeis de cada um do time e alinhe as expectativas, estabeleça os procedimentos e a governança, as responsabilidades e o envolvimento. Feito isso, é importante que o líder dê espaço para que as pessoas possam se expressar.

Por fim, é preciso foco. Seja disciplinado e faça um trato com você mesmo. Procure questões que elevem o astral, crie fluxos e, acima de tudo, cuide-se e pratique a coerência. Com essas ações, o líder alcançará resultados extraordinários, apesar das adversidades que todos estamos enfrentando.

Outro ponto muito reforçado pelo professor é a liderança responsável que deve permear todas as ações. O lucro a qualquer custo cobrará um preço alto no futuro. Ética, transparência e integridade são ingredientes indispensáveis para que possamos fazer essa travessia e chegarmos ao outro lado ainda melhores.

Se liderança faz parte da sua pauta, acesse nosso canal especial no Youtube, inscreva-se e assista à integra desse e de outros conteúdos exclusivos da FDC criados para contribuir com novas leituras nesse momento de transformações. Todos os dias, sempre às 16h, um novo conteúdo para você!

Paulo Almeida é professor e pesquisador da FDC. É pós-graduado em Gestão pela NOVA School of Business & Economics com Doutorado em Sociologia, com ênfase em gestão de pessoas, pela IUL-University de Lisboa e possui mais de 25 anos de experiência na formação de executivos. ​

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin